Madrinhas e Clonazepam.

Oi sua cafona!

Aposto que você já foi convidada para ser madrinha de casamento e odiou.  Mesmo fazendo aquele show barato na frente das suas amigas dizendo que está feliz, que é um prazer, uma honra e um monte de mentiras… você detestou. Estou reverberando suas palavras e torcendo para que suas amigas leiam. E que você peça o número da minha conta.

A sensação do convite para ser madrinha não é boa. Não adianta tentar me enganar. Você não tem dinheiro, roupa, maquiagem, jóias e presente suficiente. Ou seja, não é agradável. E mesmo que dinheiro não te falte, sempre falta senso de ridículo. Tudo é desconfortável. Para piorar, a fofa da noiva, que nunca fez um jogral na escola, nunca recitou um poema no microfone, nunca leu na missa, mas sempre sonhou em ser princesa, te coloca junto com um padrinho estranho e pede para que a gravata dele combine com seu vestido. Estamos quase abrindo uma igreja de tanto orar e a linda faz a declaração final: quero que todas as madrinhas usem a mesma cor.

Nessa noite você tomou seu primeiro clonazepam para dormir e se arrependeu de ter apoiado o namoro e ajudado a falar mal do ex que, por pior que ele fosse, jamais teria possibilitado que ela te colocasse nessa situação ridícula.

Depois de entrar no site onde a sua amiga colocou a lista de casamento, e tomar o segundo clonazepam porque alguém já comprou o presente que seu bolso podia comprar, seu cérebro e as planilhas do excel permitem que sua vida prossiga: dá para dividir um fogão de aço escovado com 5 bocas em 12 vezes!

Na próxima semana seu sono volta a ser perturbado. Lembrando que a querida da noiva fez questão de te convidar 10 meses antes do casamento. Assim você pode engordar muito até lá de ansiedade. Mas o que te impede de dormir não são os kilos a mais: é a roupa. Pronto, nessa noite você toma o terceiro clonazepam.

Nesse ponto, sua raiva não é mais por ter gostado do noivo enquanto você tinha o poder de influenciar a noiva, agora seu sonho era ser uma antissocial declarada. Já parou para pensar naquela super amiga sem grana que não foi convidada para ser madrinha? Quarto clonazepam, ela te chamou por interesse.

Quatro benzodiazepínicos depois, seu facetruque te lembra de um amigo gay. Sua felicidade é tanta que na hora você quer postar uma bandeira do orgulho LGBT. Próximo passo: pedir ajuda para o amigo. Sem problemas, lembra do Oscar quando a noiva te convidou para ser madrinha? Falsidade não te falta. Só que tem um probleminha: gays são sinceros.

Quinto clonazepam: seu amigo gay diz que a cor que a noiva escolheu não te valoriza. Você tenta odiar seu amigo também, mas no final sabe que não vai dar conta de usar rosa nude sem a ajuda dele. Afinal rosa e nude são coisas diferentes na sua cabeça. E é, mas a noiva tem certeza que entende tudo de moda só porque assina Elle.

Quatro meses se passaram e com 5 quilos a mais os problemas não param de aparecer, logo você faz as contas e o casamento vai ser no verão, à tarde, e a noiva pediu social completo. Qual maquiagem vai segurar? Todos os seus brincos estão verdes. Pode ser com sandálias ou preciso usar sapato? Uso cabelo solto ou preso? Converso com o meu par para combinar a gravata ou fico calada?

Daqui até o casamento, clonazepam e todas as outras drogas com apelo para emagrecer, crescer cabelo e deixar sua pele boa serão usadas. Mas fica entre nós.

Frente ao pesadelo eu fiz uma lista prática com 10 dicas, tudo grátis, porque eu sei que tem um tempo que você não usa débito:

  1. Faça o que a cafona da noiva pedir. Aceitou o convite, agora tem que ser obediente e pagar esse mico. Caso a noiva não peça nada, a cor do vestido vai ser seu sexto clonazepam, e o máximo que eu posso fazer por você é dizer que minha conta é no Itaú;
  2. Mesmo a noiva pedindo, não use estampa floral. Minta e não compareça ao casamento;
  3. Não use decotes profundos nem fendas abusadas demais. A noiva fica puta por dentro, e você por fora;
  4. Use maquiagem leve. Teste a base com um flash potente e certifique-se de que não ficou uma palhaça. Cuidado com o corretivo forte, ele pode ser pior do que a espinha que apareceu ontem;
  5. Pare de seguir a Camila Coelho. Não faça aquele olho gigante marcado e cheio de brilho, exceto se for casamento de drag queen;
  6. Não ouse fazer a Claudia Raia em 1991. Cachos ficam bem em poucas pessoas. Esqueça o babyliss, aquilo é um pesadelo. Uma escova bem feita, um coque baixo ou um rabo de cavalo são boas e satisfatórias opções;
  7. Vai mandar fazer o vestido? Fuja de tecidos com brilho. Sério, você vai se arrepender. Para qualquer horário, igreja, praia, terreiro, salão com teto de eternit ou seja lá que buraco o casamento te coloque, sempre pense em crepe e esqueça o cetim, o tafetá, o tule e a renda. Eu já falei sobre renda no site. Todas as madrinhas vão alugar um vestido de renda pavorento cheio de defeito igual. Quer mais motivo? Não precisa. E sempre forre o vestido. Aceitou ser madrinha no verão? Agora aguenta. Sem forro não;
  8. Use uma roupa íntima leve e que não marque. Faça fotos novamente e teste;
  9. As jóias e/ou bijouterias não precisam combinar, aparecer demais ou ter um tamanho avantajado. Corra de strass, nada pode ser pior! Já que a cor do vestido não foi escolha sua, combine a cor das jóias com seu cabelo, cor da pele e olhos de uma maneira fácil e prática: aproxime-se do espelho e coloque as bijus ao lado do seu rosto, faça a seguinte pergunta: está em harmonia ou está muito Hebe Camargo? Garanto que você consegue sozinha. Prata e ouro podem ser usados juntos, combinar esse tipo de coisa ficou em 1955;
  10. Sandálias ou sapatos? Sandálias. As mais discretas possíveis. Sem brilho, sem pedras, sem franjas e sem milhões de laços ou tiras.

Se nenhuma dica foi útil, o problema é todo seu, você poderia ter feito uma hidratação no cabelo ao invés de ler esse post gigante.

Caso queira ‘aparecer’ na festa, trate de pegar o buquê e ser a próxima. Quem aparece é a noiva. Apenas a noiva, fui claro? Fazer teatro pode te ajudar com a síndrome da Cinderella sem marido que precisa ser o centro das atenções.

Afinal casamento, com ou sem ajuda, sempre vai ser cafona.
Então relaxa e curte a brisa do clonazepam.

2 Comentários

  1. Eulina da Cruz

    Olá querido,amei tua sinceridade.
    Fui convidada para um casamento em chácara as 18:00 em Setembro e não tenho noção do que vestir.Tenho 57 anos mas não curto vestidos muito senhora e nem menininha demais,amo cores neutras tanto para roupas como para maquiagem e calçados.
    Peço, ajuda pois não quero vestir longo….e detalhe,não sei onde comprar um vestido que não seja cafona e chique demais tbm.
    Agradeço!!!

    Reply

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *